quinta-feira, 6 de outubro de 2016

A zoeira não pode parar???? Muita calma nessa hora!

Foto: Fernanda Alves | Bailarino: Felipe Duarte
Não é de hoje que vemos artistas conhecidos nacionalmente ou internacionalmente que publicam algo ou tem algum comportamento que gera uma repercussão negativa. E ninguém perdoa.
A mídia e as pessoas que não acompanham ou não gostam do artista vão pra cima, e eis aí uma pessoa naquela roda eterna dos amiguinhos da pré escola que te pega pra Cristo.
É sabido que em alguns casos, a vacilada é daquelas que vão contra princípios, agride ou fez de alguém uma vítima do artista que precisa perceber as suas ações, responsabilidades ou falta de responsabilidade. Mas até que ponto somos pessoas que buscamos de fato esclarecer o outro? Até que ponto estamos na ânsia de defender uma vítima do tal formador de opinião? Ou estamos ainda vivendo aquela fase que parece não passar na vida adulta de: "precisamos ter alguém na roda para nos sentirmos útil", precisamos elevar o podre alheio para mostrar ou provar o quanto somos bons, evoluídos e o outro um lixo?



  Para tudo deveria existir limites ou a consciência individual de trabalhar os próprios limtes. Até mesmo na hora de condenar a ação de alguém. Além de trabalhar o  limite (visto a liberdade que as redes sociais sugere), precisamos avaliar a melhor forma de trabalhar o melhor na pessoa que julgamos como infeliz em suas publicações ou ações.

Foto: Fernanda Alves | Bailarinos: Felipe Duarte e Michelle Silva
É muito fácil falar que um artista caiu no mundo das drogas por ser fraco, é fácil dizer que o cara não foi capaz de sustentar a fama, não foi alto suficiente ou competente. Difícil é se dar conta de que você também pode ter colaborado diretamente mesmo que em baixa dose para o fracasso de alguém. Este é o mundo do: cada um por si, e Deus? Sabe-se lá onde foi parar. Porque a pessoa que cai no buraco, no buraco ficará. O próprio meio artístico que muitas vezes acolheu, deu a mão, aquele abraço e registrou uma Selfie ao seu lado enquanto estava em alta é o primeiro a te deixar queimar quando você deixa de ser aquele artista exemplar e cai no erro de ser apenas um ser humano. Aquele que falha, erra e foi ensinado pela religião "perdoai 70 X 7", "Amai ao próximo como a ti mesmo", mas não vê estes ensinamentos valendo para si. Esqueceram de grifar o ensinamento mais importante "não esqueça... Se baterem em sua face dê o outro lado, sempre e sempre, e para sempre". Isso sim é o que todos esperam de você. Uma face calejada e resistente. E por favor, não chore, não reclame, não tente se explicar. Abaixe a cabeça, peça perdão e siga as regras. E continue lúcido, ou peça para sair!!!

É humano julgar,claro que é. Mas seria ser uma pessoa de bem não saber a hora de parar, de abraçar, de dar uma segunda chance?

Foto: Fernanda Alves | Bailarinos Felipe Duarte e Michelle Silva
Não seria mais profissional, os profissionais que vêem um colega tendo um momento de humanidade chamá-lo  com carinho conversar e tentar mostrar que aquilo pode prejudicá-lo. Sem usar da falha para mostrar o quanto você é legal e maduro se aproveitando da situação para auto promoção? Tipo, no PARTICULAR? Afinal de contas, caridade é sinônimo de amor e o que uma mão faz a outra não precisa ver, certo?

Por mais profissional, equilibrado, comercial que você seja em sua vida, no mundo artístico, lembre-se: Cascas de bananas existem aos montes espalhados pelo chão. E uma hora pode ser você que vá com seu "popo" de encontro ao solo nada acolhedor. Pode doer muito e as risadas de quem passa ou viu o tombo pode constranger e doer ainda mais. E nesse momento, você pode clamar por uma alma amiga que te estenda a mão, te levante, sorria, te abrace e diga: "foi engraçado esse escorregão, mas foi falta de atenção. Mas bora lá!" Te dá um abraço, te pega pela mão e ao seu lado caminha sem medo de ser julgado por estar ao lado do artista, mais também humano. Que caiu, mas levantou e com certeza o vacilo servirá de aprendizado e aquela ação terá contribuído para que você haja assim com outros numa situação difícil.

Gentileza gera gentileza, a gente com certeza um dia ainda vai se dar bem!!!!

OUÇA
Uma trilha mara para inspirar Clique aqui --->  Gentileza gera gentileza 

Imagens que contidas nesta publicação:

Trabalho de PTCC terceiro semestre da turma 2B da Etec de Artes - Técnico em Dança.
                   Michelle Silva: https://www.facebook.com/michelle.silva.39750121?fref=ts
<3 p="">

Nenhum comentário:

Postar um comentário